domingo, 30 de novembro de 2008

CINEMA BRASILEIRO


Vejam abaixo um texto publicado no Jornal Alternativa, na segunda quinzena de 1991.

O cinema brasileiro sofreu algumas modificações na década de 1950. Foi o chamado "Cinema Novo".

O Cinema Novo foi um movimento de renovação nos seus aspectos éticos, econômicos e políticos. Os precursores "Rio 40 Graus" (1955) e "Rio Zona Norte" (1957) de Nelson Pereira dos Santos, surgiram como reação à mediocridade da "Chanchada" que era o gênero dominante. Tornou-se um movimento cultural a partir do primeiros filmes de Glauber Rocha, "Barra Vento" (1964) e "Deus e o Diabo na Terra do Sol". Glauber lançou raízes dessa tendência em seu livro citado acima.

Em sua melhor fase (até 1968), o Cinema Novo revelou importantes diretores, que fizeram alguns dos melhores filmes do nosso cinema: Rui Guerra, Carlos Diegues, Paulo Cesar Saraceni ("Porto as Caixas" e "O Desafio"), Joaquim Pedro de Andrade, Walter Lima Júnior ("Menino de Engenho"), Leo Hirszman ("AFalecida") e o próprio Nelson Pereira dos Santos.

São filmes realistas, de produção modesta, mas com alto rendimento estético, o que lhes valeu dezenas de prêmios em festivais internacionais. Sua temática, urbana ou rural, procurava aboradar de forma crítica os problemas sociais da chamada "Realidade Brasileira". No final dos anos de 1960, o movimento entrou em crise (a ditadura militar teve muito a ver com isso).

Conrado F.Campo e Ronaldo Pedroso

quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Programa Canta Nordeste


Vale a pena, pra quem ainda não ouviu o programa comandado por Alcides Melo, conferir. O melhor da cultura nordestina e popular em geral.

Subjetividade: O homem mutável


A psicologia, como qualquer outra ciência, tem seu objeto de estudo. Ela estuda as vivências, as personalidades, a história, as emoções e as transformações do indivíduo. Ou seja, sua singularidade, tudo aquilo que constitui o homem em suas incoerências emocionais, ideológicas, físicas, pois estamos sempre mudando.

Não se pode separar o psicólogo do seu objeto de estudo, pois ele próprio tem a sua singularidade. A singularidade de cada psicólogo pode mudar a sua concepção de teoria em relação a outros, pois ele está sujeito a absorver e mudar, interagindo com o seu objeto de estudo. Um psicólogo percebe e registra um mesmo fato diferentemente de outro psicólogo. E não poderia ser de outra forma.

Tudo o que aprendemos durante a vida, nossas experiências, emoções, mudanças físicas compõem a subjetividade. Talvez não percebamos as mudanças ocorridas conosco porque estamos muito próximos de nós mesmo para repararmos isso. Pode parecer paradoxo, mas o estudo da subjetividade tenta afastar, tanto quanto for possível, o cientista de seu objeto de estudo. Essa tentativa de afastamento é fundamental para que seu estudo seja o mais imparcial possível. Mas como dito anteriormente, não passa de tentativa.

O que faz da psicologia uma ciência tão dinâmica é que seu objetivo de estudo, a subjetividade, está sempre mudando seja por fatores internos (crescimento, emoção) como por externos (sociedade, moda). O meio em que o homem vive também pode moldar sua subjetividade.

Tudo isso nos leva a concluir que o homem por mais que não perceba, é mutável, pois sua subjetividade assim o é, sendo ela, portanto, o conjunto de tudo aquilo que nos forma e de que somos formados. Como diria Raul Seixas: “uma metamorfose ambulante”.

terça-feira, 25 de novembro de 2008

A Expansão da Comunicação


Muito se fala sobre a regulamentação da área de jornalismo no Brasil. Existe quem defenda e quem é contra. Para um debate amplo, é necessário ouvir os profissionais da área, acadêmicos nas áreas humanas, teóricas.

Há de se levar em conta que, no mundo globalizado, a velocidade da informação é um dos fatores preponderantes para o exercício do jornalismo. E essa velocidade vem com o conhecimento das novas técnicas de veiculação da notícia. Sabe-se que no mundo acadêmico a dinâmica é imensa e a atualização dos meios didáticos se dá de forma exponencial.

Já no mercado de trabalho, a cobrança por renovações e inovações se dá inversamente proporcional às possibilidades e oportunidades de desenvolvê-las. É onde entra a faculdade formando profissionais dinâmicos, técnicos e teóricos (conhecedores da filosofia por trás do jornalismo), nas diversas áreas humanas fundamentais para o exercício do pensar e da argumentação.

Não se joga a experiência profissional de um jornalista com anos de profissão (porém sem o curso superior de jornalismo), fora, simplesmente substituindo-o por profissionais recém-formados. Há espaço para os novos jornalistas e para os “dinossauros” (no melhor sentido do termo) da comunicação.

Há alguns anos, o governo federal sancionou a lei 9394/96 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional), conhecida também como Lei Darcy Ribeiro. Nesta lei aponta-se a preferência, ainda não que obrigatoriedade, do professor ter curso superior. A partir de então, criou-se o curso “Normal Superior” para atender à nova demanda que se criava.

Houve também a facilitação do ingresso dos profissionais do ensino já inseridos no mercado de trabalho às faculdades que passaram a disponibilizar mais vagas, contratar mais professores. Com isso, fez-se notar duas mudanças bastante expressivas: a geração de novos empregos e a capacitação e reciclagem (e mesmo o desenvolvimento de novas técnicas na área de ensino) dos professores que antes não tiveram a chance de cursar o Ensino superior.

Com esse exemplo, fica claro que o curso superior de jornalismo só agrega conhecimento, técnica e inovações ao jornalista experiente, porém sem o ingresso acadêmico. A facilitação à entrada na faculdade geraria um fenômeno idêntico ao da Lei Darcy Ribeiro, geraria não, já está gerando. Estamos caminhando para um novo tempo no jornalismo brasileiro.

A não regulamentação do jornalismo e o abandono do curso superior seria um retrocesso gigantesco, insuportável para uma área que já evoluiu tanto.

Pode haver uma resistência de jornalistas mais antigos de maneira até mesmo acintosa. O debate acerca do tema irá desmitificar alguns jornalistas, a faculdade será um complemento para a vasta experiência adquirida ao longo dos anos no exercício da profissão, tornando-o um profissional ainda mais completo e capacitado.

Para os novos profissionais, a soma das abordagens práticas e teóricas dadas durante a sua carreira acadêmica irá ajudá-los incontestável e insubstituivelmente. Sairão jornalistas prontos para o mercado de trabalho.

O curso superior de jornalismo somado à regulamentação da profissão e do próprio curso afetará positivamente na economia do país, com a criação de novos empregos, afetará o ensino brasileiro, com o aperfeiçoamento pedagógico na área da comunicação, por fim, e mais importante, formará profissionais éticos e competentes para o exercício da profissão.

Escolas pré-moldadas deverão se adequar à nova realidade, investindo em pesquisa e desenvolvendo projetos que envolvam os corpos docente e decente, num processo inesgotável de aperfeiçoamento. Com a real necessidade da abertura de novas vagas, devida ao aumento do trabalho na área da comunicação, teremos a democratização do ensino superior em jornalismo, incentivando a livre concorrência entre as instituições particulares.

A expansão da comunicação (que já se faz veloz) acelerará ainda mais, abrindo mais vagas no mercado, em um círculo infinito de crescimento e aperfeiçoamento.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Poema



ÉS MULHER

És mulher, beleza, dignidade e retidão
És força forjada a ferro e fogo
És esposa, filha, pai e mãe
Pétala de rosa, rubra como a paixão.

Se com palavras não puder falar-te
Falo-te com os olhos,
Amo-te em meu íntimo
Loura, morena ou ruiva
Grande em toda a sua pequenez.

És mulher, suave e firme
Delicada, gentil e amável
De teu ventre vem o fruto sagrado
Teu seio acolhe o mundo.

És mulher, imortal
Ninguém canta teu réquiem
Não te dobra às barreiras do mundo
Mas segue seu caminho de luz e encantamento.

És mulher, dona da verdade
Tem coragem, não foge à luta
És mulher, a própria vida
És mulher, o próprio mundo.

Ronaldo Pedroso.

A cultura da fé


É possível separar espiritualidade de religiosidade? Se levarmos em consideração que a religião é um meio pra se chegar à espiritualidade, chegaremos à conclusão que sim, é possível. A religião passa a ser um dos caminhos, mas não o único. As pessoas podem desenvolver sua espiritualidade de outras formas, além do exercício da religião.

A religião se torna, então, um mecanismo de devoção, de congraçamento, de união em prol de uma idéia ou fé. Não necessariamente a fonte de espiritualidade das pessoas. Há quem desenvolva sua espiritualidade em casa, longe de qualquer seita ou religião, somente através de livros, orações, meditações sem freqüentar qualquer igreja, templo ou salão de qualquer que seja a religião.

O que se vê hoje é um verdadeiro “mercado religioso”, onde cada um tenta agregar mais fiéis para as suas igrejas. Ora, fé não é algo que se compra no super-mercado, portanto a espiritualidade ou a fé pode ser compartilhada nas religiões, mas essas não são a sua origem.

A verdadeira espiritualidade ou a verdadeira fé vem de dentro do ser humano, separando-se em alguns momentos da religião ou religiosidade. Essa sim trata a fé e a espiritualidade como algo que é incorporado às pessoas somente através dela, que sem ela não é possível alcançar a paz espiritual.

Logicamente, em meio ao chamado mercado religioso, existem exceções em relação à instituições e também à pessoas. Essas recebem muito bem que os visita ou os freqüenta, e também deixa à vontade, caso não se sintam plenamente satisfeitos com o que encontram, sem recriminação ou intimidação.

Frases do tipo “somente aqui você encontrará a paz” são comuns, ligando a religião à espiritualidade de forma grotesca, como se fosse uma ameaça: “não venha e irá para o inferno”.

A espiritualidade está na fé de cada um, e cabe somente a cada um a escolha de seguir ou não uma religião que caiba mais na sua forma de pensar ou agir. A imposição não traz benefícios, somente deixa as pessoas mais inseguras em relação a qual caminho devem seguir. Isso deve ser combatido com muita paciência e respeito, pois podemos considerar esses “fiéis” vítimas de pessoas inescrupulosas, utilizando o nome de Deus ou de alguma entidade para enriquecer ilicitamente.

Circo Castelli

Alô criançada, o circo chegou!!!!!!!!

Tem palhaçada? Tem, sim senhor.

Pra quem gosta da arte circense, o Circo Castelli está em Uberlândia na Av. Getúlio Vargas acima do almoxarifado da prefeitura.
Com simplicidade e graça, vem pra divertir a garotada.

domingo, 23 de novembro de 2008

Dicas de livros

Duas dicas de livros: uma brasileira e outra estrangeira. E só pode dar dica quem já leu. É o caso do romance de Augusto Cury "O Futuro da Humanidade: a saga de Marco Polo", que conta a história de um jovem estudante de medicina que quer mudar a psiquiatria arcaica com seus tratamentos frios e impessoais.






Outro livro genial é "A menina que roubava livros" ambientada na Segunda Guerra Mundial, em uma cidadezinha alemã, e tendo como narradora (pasmem!!!) a própria morte. O autor é Marcus Zusak, e o livro já foi citado neste blog no post http://proculturaalternativa.blogspot.com/2008/11/o-pior-da-propaganda-ideolgica-o.html

Boa leitura!

Queen & Paul Rodgers no Brasil


Depois de uma apresentação em um programa de TV, a parceria da banda Queen e do vocalista Paul Rodgers se firmou como uma turnê de 2 anos. Sem o encantamento do ídolo Fredie Mercury, mas com muita vontade, e musicalidade de sobra, os vovôs vão se apresentar em São Paulo, na Via Funchal nos dias 26 e 27, quarta e quinta desta semana. O repertório é dividido entre os sucessos da banda e de Rodgers.

Vida longa ao rock'n roll!
video

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Dia Nacional da Consciência Negra


20 de novembro é comemorado o dia Nacional da Consciência Negra. Em 2003, foi sancionada a lei 10.639/03 sendo instituída obrigatoriedade da inclusão da História da África e da Cultura Afro-brasileira no currículo das escolas pública e particular de ensino fundamental e médio. Na mesma lei também é determina que O DIA Nacional da Consciência Negra deverá ser incluído no calendário escolar.
A data é lembrada pela morte de Zumbi dos Palmares, em 20 de novembro de 1695. Líder da resistência negra contra a escravidão, Zumbi foi o último chefe do Quilombo dos Palmares.
É um momento de reflexão, de reafirmarmos a nossa descendência como povo miscigenado que somos, filhos de negros africanos, índios e portugueses. A RAÇA É HUMANA. Não importa a cor da nossa pele, somos todos irmão e o mínimo que se espera é o RESPEITO. Há de se chegar o dia em que comemoraremos, não o dia do negro, do índio, mas sim, o dia da Humanidade, sem desigualdades, preconceitos e diferenças.

casarão


Esse quadro de Rosângela Gomes dos Santos foi apresentado a mim por Ionei José, arquiteto, artista plástico, membro da equipe do jornal Alternativa de 1991. No lugar desse casarão, em Frutal, de frente a Praça da Matriz agora funciona um posto de combustível. Desde aquela época, nós, do Alternativa já pedíamos o tombamento do prédio. Esse aí, agora só se vê pela arte e por fotos antigas.

A seguir, a matéria do jornal Alternativa n° 6, da segunda quinzena de setembro de 1991, com a foto deste casarão e , acima dela, outro casarão, conhecido como a casa do Melinho. Ele também já foi demolido.


Vale lembrar que na antiga prefeitura de Frutal funciona hoje a nossa tão sonhada Casa da Cultura, como foi informado aqui mesmo, no blog Alternativa.

sábado, 15 de novembro de 2008

Mr Gyn no London


Hoje, feriado da Proclamação da República, Mr Gyn se apresenta em Uberlândia no London Pub com o seu show EletroAcústico, de 10 anos da banda. Os goianos trazem suas melhores músicas em um formato todo especial. Imperdível!!!!

video

Veja as faixas do álbum Eletroacústico:
1. Cada dia


2. Um sinal


3. Minha razão


4. Por isso


5. Pra dizer adeus


6. Sonhando


7. A minha paz


8. Um pro outro


9. Perto de você


10. Minha juventude


11. Por que?


12. Quanto tempo


13. Lugar certo


14. Coisa de brasileiro


15. Assim não dá


16. Outra história


17. O plano


18. Mundo real


19. Preciso tanto


20. Depois daquele olhar


21. Sonhando "bonus"


sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Última Parada 174


O cinema nacional traz mais uma ótima alternativa para os cinéfilos. Depois do documentário de José Padilha em 2002, o diretor Bruno Barreto resolveu contar a história de Sandro do Nascimento, o infeliz protagonista do assalto ao ônibus 174, acontecido em 2000 no Rio de Janeiro, que acabou com a sua própria morte, e de Geísa Firmo Gonçalves, a vítima que estava sob sua mira. Em cartaz, nos cinemas.




video

007 - Quantum of Solace



Parece que depois Daniel Craig assumiu a pele do agente com licença para matar a série perdeu em charme, mas ganhou em ação. Com o ritmo mais alucinante e cenas mais violentas nesse novo filme, 007 vai atrás da organização que pôs a sua vida em perigo no filme anteior, Cassino Royale. O agente a serviço de Sua Majestade nunca mais será o mesmo. É James Bond se adaptando ao novo contexto mundial. Em cartaz nos cinemas.


video

Grammy Latino 2008 Lista de vencedores

Gravação do Ano:
- "Me enamora", Juanes

Canção do Ano:
- "Me enamora", Juanes

Álbum do Ano:
- "La vida... es un ratico", Juanes

Artista Revelação:
- Kany García

Melhor Álbum Vocal Pop Masculino
- "La vida... es un ratico" - Juanes

Melhor Álbum Vocal Pop Feminino
- "Cualquier día" - Kany García

Melhor Canção Alternativa
- "Volver a comenzar" - Café Tacuba

Melhor Canção de Rock
- "Esta vez" - Café Tacuba

Melhor Álbum de Rock:
- "La lengua popular", Andrés Calamaro

Melhor Álbum de música alternativa:
- "MTV Unplugged", Julieta Venegas

Melhor Álbum de cantor-compositor:
- "Rodolfo", Fito Páez

Melhor Álbum vocal pop duo ou grupo:
- "Fantasía pop" - Belanova

Melhor Álbum de Rock Duo ou Grupo
- "Eternamiente" - Molotov

Melhor Álbum de Música Urbana
- "Los Extraterrestres" - Wisin y Yandel

Melhor Álbum de Sala
- "El Cantante" - Marc Anthony

Melhor Álbum Tropical Tradicional
- "90 Millas" - Gloria Estefan

Melhor Álbum Ranchero
- "Para Siempre" - Vicente Fernández

Melhor Álbum de Grupo
- "Ayer, hoy y siempre" - Los Horóscopo de Durango

Melhor Álbum Instrumental
- Orquesta Filarmónica de Bogotá - 40 años

Melhor Álbum de Música Clássica
- "Pasión Española" - Plácido Domingo

Melhor Álbum de Tango
- "Buenos Aires, días y noches de tango" - Produtor Andrés Mayo

Melhor Álbum de Flamenco
- "Una guitarra en Granada" - Juan Habichuela

Melhor Álbum Folclórico
- "Caballo" - Cholo Valderrama

Produtor do Ano
- Sergio George

Melhor Videoclipe
- "Me Enamora" - Juanes

Melhor Video Musical Longo
- "MTV Unplugged" - Julieta Venegas

Lista de Premiados Brasileiros:

Melhor Álbum Pop Contemporâneo Brasileiro
- "Sim" - Vanessa da Mata

Melhor Álbum de Rock Brasileiro
- "Cidade cinza" - CPM 22

Melhor Álbum de Música Popular Brasileira
- "América Brasil, o disco" - Seu Jorge

Melhor Álbum de Música Contemporânea Regional ou de Raízes Brasileiras
- "Qual o assunto que mais lhe interessa?" - Elba Ramalho

Melhor Álbum de Música Tradicional Regional ou de Raízes Brasileiras
- "Grandes clássicos sertanejos acústico I" - Chitãozinho e Xororó

Melhor Canção Brasileira
- "Som da chuva" - Marco Moraes e Soraya Moraes

Melhor álbum de música cristã - Língua portuguesa
- "Som da Chuva" - Soraya Moraes

Nota: a brasileira Soraya Moraes também venceu na categoria melhor álbum de música cristã em língua espanhola por "Tengo sed de ti"

FONTE: UOL

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Grammy Latino 2008


Está chegando a hora da festa. A entrega das premiações para o Grammy Latino 2008, na noite desta quinta, dia 13, terá 2 locações; pela primeira vez, as premiações serão feitas em Houston e em São Paulo. No Brasil, os apresentadores serão Marcelo Tas (CQC) e Daniela Cicarelli.

Mama África

Quatro dias antes da premiação, a Academia Latina recebeu com tristeza a notícia da morte de Miriam Makeba, a Mama África, a primeira mulher da África do Sul a ganhar um Grammy. Sua mais famosa música foi Pata Pata. Mama África foi uma das mais importantes figuras na luta contra o Apartheid e morreu na Itália aos 76 anos, vítima de um ataque cardíaco.

video

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

O pior da Propaganda Ideológica: o NAZISMO

O Nazismo nasceu na base operária alemã, massacrada economicamente pela recessão pós-guerra, e suas idéias foram difundidas pelo austríaco Adolf Hitler, através do livro Mein Kampf, onde ele pregava idéias racistas em detrimento da “ra-ça superior ariana”. Hitler foi o líder do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães (em alemão Nationalsozialistische Deutsche Arbeiterpartei, NSDAP), também conhecido por Nazi, uma abreviatura do nome em alemão (Nationalsozialistische).
A propaganda nazista é o exemplo máximo da propagação de idéias. Seu sucesso deve-se não somente pela sua capacidade de convencer as massas (Hitler era um exímio orador), mas também, justamente por pregar aquilo que o povo ale-mão mais carecia naquele momento histórico-social, ou seja, o povo alemão estava psicologicamente abalado, e o nazismo usou dessa fraqueza para se propagar. O nazismo pregava:
a) o nacionalismo, com a proposta anti-semita, já que a maior parte da burgue-sia bem sucedida economicamente era de origem judia, mesmo que nascidos na Alemanha;
b) a distribuição de riquezas, com o confisco de bens judeus pelo governo;
c) a unificação germânica, do antigo império austro-úngaro, prometendo devol-ver ao povo alemão uma identidade forte, formando um novo império germâ-nico, o terceiro heich;
d) a retomada de territórios perdidos na Primeira Grande Guerra através do tra-tado de Versalhes, retomando o orgulho do povo alemão, esfacelado interna-cionalmente, após a derrota;
e) um governo forte e sem corrupção, com a extinção da democracia (de acordo com os nazistas, berço da corrupção), através da representação do povo por um único líder, o führer.
Portanto, a Alemanha passava por uma crise e o nazismo escolheu os cul-pados. O povo alemão foi, cada vez mais, aderindo às idéias e filiando-se ao Parti-do. Um alemão vigiava o outro; um alemão convertia o outro; um alemão entregava o outro. A propaganda nazista convenceu os alemães e obteve maioria no parlamento nas eleições de 1932, o que levou Hitler ao poder, primeiramente como chanceler, e depois como ditador.
As idéias nazistas impregnavam as mentes alemãs. O führer dizia que não dispararia nenhuma arma; e realmente não precisou disso para criar um império de medo e ódio; suas ações foram no campo das idéias. O escritor Markus Zusak (2006) mostrou a força da propaganda nazista sob o ponto de vista de um judeu, escondido em um porão, durante a Segunda Guerra Mundial, no romance ficcional A menina que roubava livros.


A suástica, ou cruz gamada, é um dos símbolos mais difundidos do mundo, é também muito antigo.
A suástica transcendeu os tempos até chegar a ser o símbolo do nazismo. Como exemplo de povos que já a cultuaram, podemos citar os celtas e estrussos, além de ser um símbolo budista (com alguns detalhes diferentes).
Alguns estudiosos acreditam que a suástica muitas vezes acompanhou a imagem dos salvadores da humanidade. Para o matemático René Guénon, a suástica é feita de uma cruz cujas hastes são quadriplicadas. O seu valor numérico, portanto, é de quatro vezes quatro. É o desenvolvimento da força da realidade, ou do universo. Como desenvolvimento do universo criado, associa-se a grandes figuras criadoras ou redentoras.
O símbolo nazista, tinha o significado de Força, Liderança, Equilíbrio e o mais importante, Renovação para a Alemanha. No culto budista, ao contrário ao símbolo nazista, a suástica gira em sentido horário, e eles acreditam que esse símbolo atraia sorte.

Fontes: Enciclopédia Barsa
Livro The Men Behind Hitler (autor: Bernard Schreiber)
Imagem: educa.terra.com.br

domingo, 9 de novembro de 2008

Homem não chora - Frejat

HOMEM NÃO CHORA
NEM POR DOR
NEM POR AMOR
E ANTES QUE EU ME ESQUEÇA
NUNCA ME PASSOU PELA CABEÇA
LHE PEDIR PERDÃO
E SÓ PORQUE EU ESTOU AQUI
AJOELHADO NO CHÃO
COM O CORAÇÃO NA MÃO
NÃO QUER DIZER
QUE TUDO MUDOU
QUE O TEMPO PAROU
QUE VOCÊ GANHOU
MEU ROSTO VERMELHO E MOLHADO
É SÓ DOS OLHOS PRA FORA
TODO MUNDO SABE
QUE HOMEM NÃO CHORA
ESSE MEU ROSTO VERMELHO E MOLHADO
É SÓ DOS OLHOS PRA FORA
TODO MUNDO SABE
QUE HOMEM NÃO CHORA
NÃO CHORA NÃO
HOMEM NÃO CHORA
NEM POR TER
NEM POR PERDER
LÁGRIMAS SÃO ÁGUA
CAEM DO MEU QUEIXO
E SECAM SEM TOCAR O CHÃO
E SÓ PORQUE VOCÊ ME VIU
CAIR EM CONTRADIÇÃO
DORMINDO EM SUA MÃO
NÃO VAI FAZER
A CHUVA PASSAR
O MUNDO FICAR
NO MESMO LUGAR
MEU ROSTO VERMELHO E MOLHADO
É SÓ DOS OLHOS PRA FORA
TODO MUNDO SABE
QUE HOMEM NÃO CHORA
ESSE MEU ROSTO VERMELHO E MOLHADO
É SÓ DOS OLHOS PRA FORA
TODO MUNDO SABE
QUE HOMEM NÃO CHORA
video

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

ATUANTE

O estudante de Jornalismo Henrique Mendes nos convida para acessar o seu blog. Vamos prestigiar o ATUANTE.

http://diferenteatuacao.blogspot.com/

Festival de Dança do Triângulo


O festival, que teve início quarta-feira, 05, entra pelo fim de semana com atrações para todos os gostos. As apresentações acontecem na Arena Multiuso Tancredo Neves, o Sabiazinho. Veja as atrações:


dia 07 de novembro – 6 ª feira

GRUPO

CIDADE

COREOgRAFIA

ESTILO

TEMPO

HOR.

APRES.

VÍDEO INSTITUCIONAL




5’

20:00

ABERTURA OFICIAL




5’

20:05

Cia Bittencourt – GRUPO PROFISSIONAL(Som)

Udi

Chico de cá e Bob de lá

Musical

20 min

20:10

Corpo Baile do Núcleo de Dança

Udi

Paquita

Balé de Repertório /

Pas de Deux

8'00”

20: 33

Anna Corsino / Rodrigo Nogueira

Udi

Fugaz

Dança De Salão /Duo

7’00”

20:44

Cia de Dança Êxito

Udi

Sem Palavras

Jazz/Solo masculino

3'00

20:54

Grupo Talentos Júnior

Udi

Aurora

Balé de Repertório /Solo Feminino

2'14”

21:00

Lucas Rodrigues

Udi

Amores de Picadeiro

Dança Contemp /Solo Masculino

3’25

21:06

Cia de Dança Alex Feliciano

Udi

Abrindo Portas

Dança De Salão /Grupo

4'00”

21:13

Uai Q Dança

Udi

Florbela

Dança Moderna /Grupo

8'00”

21:20

Karyne Bittencourt/ Jhony Cardoso

Udi

Distintos em um

Jazz /Duo

5'17”

21:31

Corpo Baile Infantil Sesiminas

Udi

Centopéia

Composição Livre /Grupo

4'00”

21:40

Vórtice Escola de Danças

Udi

Valsa das Horas

Balé de Repertório /Grupo

3'35”

21:47

INTERVALO


RETIRAR LINÓLEO


10’

21:49

Stúdio A de Dança

Araguari

Vamobatêlata

Sapateado/grupo

5'00”

21:59

Cuerpo de Baile Zambra Gitana

Udi

Fiesta Flamenca

Danças Étnicas/

grupo

8'00”

22:07

Uai Q Dança

Udi

TemPésTade

Sapateado/grupo

3'48”

22:18

Stúdio A de Dança

Araguari

Zé Pereira, meu brother

Sapateado/grupo

5'00”

22:25



TÉRMINO NOITE



22:30


dia 08 de novembro – SÁBADO

GRUPO

CIDADE

COREOgRAFIA

ESTILO/ forma apres.

TEMPO

HOR.

APRES.

VÍDEO INSTITUCIONAL




5’

20:00

ABERTURA OFICIAL




5’

20:06

Coletivo Pró – Criação – MOSTRA PROFISSIONAL

São Paulo

Solo a dois

D. Contemporânea

15 min

20:14

Trab.Ind. Marcelo Rosa Cardoso

Udi

No íntimo da perda

D. Contemp/ grupo

4'00”

20:32

Cia de Dança Sesiaraxá

Araxá

Free Ilusion

Dança De Rua Grupo

5'00”

20:39

Vórtice Escola de Dança

Udi

Raymonda

Balé de Repertório/Grupo

8'55”

20:46

Grupo Irmãos de Rua

Patos de Minas

Estilo novo

Grupo

6'00”

20:58

Grupo Arabesque

Araguari

Três Gestos

D. Contemp/ grupo

5’

21:07



INTERVALO


5’

21:15

Grupo Ritmo

Udi

Samba do meu rei

Dança De Salão /Duo

5'00”

21:23

G. Dança Manos do Hip Hop

Udi

Periferia

Dança De Rua/ Grupo

8'00”

21:31

Grupo Emergentes

Patos de Minas

Nossa potência, sua reação

D. Rua/ Grupo

6’

21:42

Grupo Irmãos de Rua

Patos de Minas

Estilo próprio

Dança De Rua /Grupo

6'00”

21:51

Projeto Pé-de-Moleque

Udi

O Corsário

Balé de Repertório /Pas de Deux

8'00”

22:00

Grupo Arabesque

Araguari

Abstractun

D. Contemp/ grupo

3’50”

22:11

Vórtice – MOSTRA PROFISSIONAL

Udi

Glória

Balé Clássico

8 min

22:18



TÉRMINO DA NOITE



22:29