terça-feira, 28 de outubro de 2008

Aldeia global de Herbert Marshall McLuhan

Aldeia global quer dizer simplesmente que o progresso tecnológico estava reduzindo todo o planeta à mesma situação que ocorre em uma aldeia, ou seja, a possibilidade de se intercomunicar diretamente com qualquer pessoa que nela vive”. (WIKIPÉDIA, 2008).

Esse conceito é um paradigma, já que McLuhan elegeu a televisão como o meio de comunicação de massa que melhor exemplificaria a teoria, já que a forma de comunicação em uma aldeia é entre dois indivíduos, ou seja, bidirecional. Com a modernização e o crescimento tecnológico, o conceito começa a se concretizar com a ascensão do telefone celular e da internet, que interliga o mundo inteiro.

O diretor Alejandro González abordou o tema no filme Babel[1], onde são contadas três histórias diferentes, porém todas interligadas, mostrando como um fato, aparentemente isolado, pode interferir do outro lado do mundo, graças à globalização. Metaforicamente, um mundo falando várias línguas, com seus povos interligados entre si, porém sem saberem se comunicar, mesmo com todas as condições para tal.

De acordo com a Wikipédia (2008)

O princípio que preside a este conceito é o de um mundo interligado, com estreitas relações econômicas, políticas e sociais, fruto da evolução das Tecnologias da Informação e da Comunicação (vulgo TIC), particularmente da World Wide Web, diminuidoras das distâncias e das incompreensões entre as pessoas e promotor da emergência de uma consciência global interplanetária, pelo menos em teoria.

De acordo com McLuhan, essa profunda interligação causaria uma enorme rede ou teia de dependências entre todas as regiões do globo originaria uma poderosa teia de dependências mútuas e, desse modo, promoveria a solidariedade e a luta pelos mesmos ideais. Porém, essa dependência provou não ser saudável, como já se vê na economia, quando uma quebra nos setores bancário e imobiliário dos Estados Unidos, coração econômico do planeta, causa uma imensa leva de crises em outros países. Exemplificando, esse mesmo efeito dominó se vê com o problema do gás na Bolívia ou com periódicas crises financeiras nos Tigres Asiáticos.

Na verdade, esse fenômeno já se evidenciava através da teoria do Efeito Borboleta, parte da complicada Teoria do Caos[2], onde um acontecimento em determinada parte do mundo, por mais que pareça aleatório, tem efeitos a uma escala global, como mostra, por exemplo, as flutuações dos mercados financeiros mundiais.

Símbolo da teoria do caos

Para muitos críticos de sua obra, a Aldeia Global trata-se mais de um conceito filosófico e utópico do que real, devido ao seu caráter humanista e comunitário.

A idéia de ter a comunicação como forma de aproximar as pessoas e estreitar as relações não se compatibiliza com a sociedade capitalista comtemporânea. Além disso, a inclusão digital mundial é uma verdade muito longe de ser alcançada, mesmo que não seja impossível. Percebe-se essa dificuldade principalmente nos países do Terceiro Mundo ou, ainda, em países com regimes totalitários, onde a liberdade de expressão ainda é um sonho inalcançável.



[1] Uma enorme torre, construída pelos descendentes de Noé, com milhares de tijolos empilhados, colando-os uns sobre os outros, com betume, para fazer com que um dia o seu ápice penetrasse nos céus. Provavelmente sua intenção era agradecer à divindade por terem escapado ao grande dilúvio. Mas, conta-se na Bíblia, não foi assim que Jeová entendeu. Não viu aquele colosso se erguer no meio do nada como um possível agrado a ele, mas sim como prova da soberba dos homens. Queriam rivalizar-se com Ele. Resolveu intervir. Desceu em meio aos construtores e num gesto Dele todos começaram a dizer palavras em línguas diferentes. Ninguém mais se entendeu (SCHILLING, 2008).

[2] Teoria criada pelo meteorologista Edward Lorenz, em 1960, que estabelece que uma pequena mudança ocorrida no início de um evento qualquer, com fatos aleatórios, pode ter conseqüências no futuro. A teoria tem várias aplicações para a física, matemática, meteorologia, finanças. Ou, como a questão que titula seu artigo em 1979: "Previsibilidade: pode o bater de asas de uma borboleta no Brasil desencadear um tornado no Texas?"

Um comentário:

Aconteceu comigo disse...

Show a reflexão sobre aldeia global, levando em consideração a crise financeira no mundo, e a teoria determinista do "simples bater de asas de uma borboleta aqui influir no outro do planeta".
Muito bom,sorte!